quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Realize o sonho da casa própria de forma sustentável

 
Reinaldo Domingos
O sonho de possuir uma casa própria acompanha um grande dos brasileiros. Os motivos são vários: deixar de dividir a casa com parentes, amigos e, principalmente, parar de pagar aluguel. Contudo, a falta de um planejamento financeiro faz com que muitas vezes esse sonho se torne um verdadeiro pesadelo, levando a pessoa a um grande endividamento, que comprometerá o futuro financeiro dela e de sua família.
Assim, qual é a hora certa de comprar uma casa? A resposta dessa pergunta é que essa aquisição só será possível quando a pessoa tiver total controle de suas finanças pessoais, podendo direcionar uma parte de sua receita para esse fim. Para isso é necessária uma posição pró-ativa da pessoa perante o dinheiro, isto é, ela tem que passar a controlar os seus gastos, tomando as rédeas de sua vida financeira.
O primeiro passo é estabelecer qual o valor do sonho que deseja realizar. Assim tem que mentalizar qual é a casa que deseja comprar. Só com esse valor em mãos é que realmente se pode iniciar o controle das finanças, determinando o objetivo a ser atingido.
O próximo passo será a elaboração de anotações diárias com todos os gastos descriminados, esse material deve ser repassado para uma planilha, a partir da qual a pessoa realizará uma análise mensal dos gastos, vendo onde esses são excessivos e o que pode ser feito para economizar. São vários os exemplos para fazer economia: como são os casos das famílias que possuem dois carros, deixando um parado na garagem. Caso essa família venda um carro economizará, se o carro for popular, aproximadamente R$ 500,00 por mês. Esse é apenas um caso de muitos dos que podem fazer com que conquistemos uma economia maior.
É importante registrar que não basta somente guardar o valor total da casa, mas também somar a este montante o valor da escritura, instalações, móveis entre outros gastos.  Caso entre em um financiamento, lembre-se, essa linha é aceitável, por ser uma forma de ‘dívida de valor’, mas o problema é perder o controle das finanças e ter que devolver a casa por falta de pagamento. Assim, separe sempre o valor das prestações e sempre tenha uma reserva especial.
Também deverá ser verificado e estudado o entorno de onde pretende-se comprar a nova casa, por um motivo simples que é o custo de vida do novo local a morar, geralmente queremos um melhor lugar e aí o custo do padrão de vida pode refletir diretamente no orçamento financeiro, como exemplo podemos citar aumento do custo da padaria, gasolinas, açougue, condomínio, IPTU entre outros. Ainda sobre o local, uma casa perto do local de trabalho é interessante, mas não fundamental. Mesmo assim, o ideal e comprar uma casa em local de fácil acesso.
Não pense que as preocupações acabaram, sendo que é sempre importante lembrar que uma casa nova também cria a necessidade de reformas, por isso, a situação da casa também é fundamental. Uma casa em estado péssimo de conservação com certeza representará custos, sendo que ninguém é feliz em uma casa caindo aos pedaços. O ideal é uma casa nova, caso não seja possível examine cuidadosamente suas instalações, antes de fechar o negocio.
Com a facilidade de crédito podendo chegar até 30 anos para pagar, a tão sonhada casa própria se criou um grande risco para nossas famílias, visto que a população brasileira ainda não tem o hábito e cultura de projetar em seu orçamento estas prestações. É aconselhável que se faça uma simulação em algumas instituições financeiras de crédito habitacional e conhecendo o valor da prestação, deverá ser feito uma simulação inserindo este valor dentro do orçamento financeiro.
É muito importante registrar que nem sempre a melhor opção é trocar o aluguel pela prestação da casa própria. Muitas vezes é melhor conhecer o que iria pagar de um financiamento e continuar pagando aluguel e guardar a seguinte diferença: o valor que resulta da prestação do financiamento projetada, menos o valor do aluguel. Fazendo as contas, por incrível que pareça poderá comprar a casa a vista em nove anos.
Também registro que os juros de financiamento no Brasil ainda são muito altos. Para se ter uma idéia, o montante pago em 30 anos de financiamento poderá chegar a 3 vezes o valor da casa a ser comprada. Se a compra for a vista, além de não pagar juros, você ganhará com o dinheiro aplicado e terá condições de pedir descontos quando da efetiva compra.
Contudo, o mais importante antes de comprar a casa própria não é a forma de pagamento e sim ter controle da situação financeira e realizar um planejamento para essa compra, sempre separando os valores logo que receba seus rendimentos. A velha mania de guardar as sobras para os sonhos são os maiores limitadores. Assim, ponha seus sonhos em prática, você será muito mais feliz.
Reinaldo Domingos, educador e terapeuta financeiro, presidente do Instituto DSOP, autor dos livros Livre-se das Dívidas (2011), Terapia Financeira (2007) e O Menino do Dinheiro (2008) e da primeira Coleção Didática de Educação Financeira no Ensino Básico (2011)
Assista o vídeo e veja a entrevista sobre Educação Financeira na escola e na empresa:


Instituto Dsop:http://www.dsop.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário