sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Os princípios da Carta da Terra



 
 Crédito: Google Imagens

JMA-Jornal Meio Ambiente por Luciana Ribeiro


A carta da Terra foi aprovada na Eco 92, evento que priorizou a sustentabilidade social e ambiental para expandir a luta dos povos por direitos socioambientais, além de vigorá-los por meio das políticas públicas que valorizam a preservação da água, energia, resíduos sólidos (papel, plástico e outros), fauna e flora e tudo que contribui para um mundo mais solidário e sustentável.


Felizmente, o documento educativo (a carta da Terra) pode ser apropriado por educadores, médicos, motoristas, padeiros, engenheiros, e outros para facilitar a compreensão dos problemas ambientais (desmatamentos/poluições do lixo etc) de modo contextualizado e crítico.Assim é possível motivar os cidadãos a construirem um diálogo participativo que oportunize a construção e a implementação de projetos socioambientais, que envolvam o reflorestamento de áreas verdes, o uso racional da água etc.

De acordo com estudos acadêmicos (Paulo Freire e Moacir Gadotti), a comunidade escolar pode e deve executar projetos educativos que contemplem os problemas sociais, políticos, culturais que ignoram os direitos humanos. As pesquisas e estudos voltados para o tema mencionam escolas do Brasil que utilizam a carta da Terra nos currículos escolares (Acesse: http://www.centroecologico.org.br/educacao_ambiental%5CRevistaTeia.pdf), as quais têm contribuído para a inserção de novos desafios que respeitam a referência e a atuação social de cada ser humano no mundo em que vivem.

Portanto, os políticos do Brasil, os profissionais diversos (biólogos/geógrafos etc), as instituições governamentais – Ministério do Meio Ambiente (MMA)- Ministério da Educação (MEC) e outras podem esforça-se para implementar a carta da Terra e envolvê-la nas tarefas escolares que propiciam a participação ativas dos educadores, dos alunos e das comunidades do Brasil.

Neste sentido, cito algumas atividades relacionadas à Carta da Terra:

*Desenhar o planeta Terra e depois dar destaque para os problemas e as soluções que existem para preservá-lo com mais dignidade e sustentabilidade;

*Assistir a um vídeo e debater a realidade das cidades locais, regionais e globais, abordando a coleta seletiva do lixo, a horta escolar e outros aspectos relacionados à economia e à história da cidade local;

*Escrever uma carta semelhante à Carta da Terra para enviá-la aos governantes locais (prefeitos, deputados e senadores), por meio da qual possamos interagir com a preservação do meio ambiente e estabelecer um vínculo mais direto com a comunidade escolar (diretor, professor etc).

Ressalto que a luta dos cidadãos brasileiros pela conservação da natureza é um desafio que precisa ser um compromisso sério e de longo prazo, e, ainda, ser inserido nas propostas dos governantes brasileiros e do sistema educacional para abranger todas as cidades brasileiras, contrariando de fato a lógica do capitalismo que destrói o planeta Terra.


Acesse para saber mais sobre a Carta da Terra:

Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=BvngOIXJH5M

Encontros para debater a Carta da Terra:

http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/folder_carta_da_terra2_1253633413.pdf

Site da Carta da Terra:

http://www.cartadaterrabrasil.org/prt/text.html

 Fonte: http://jornalmeioambiente.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário