domingo, 14 de julho de 2013

Material pedagógico para Índios/Envie sugestões pro Ministério da Educação/MEC


14/07/2013

Projeto de material didático deve ser enviado até 27 de agosto

 Às escolas indígenas será destinado o material didático e paradidático a ser produzido por organizações indígenas, universidades, instituições de pesquisa e secretarias de Educação (foto: Geyson Magno/MEC – 18/9/10)O Ministério da Educação recebe, até 27 de agosto, propostas de livros, material didático e paradidático, CDs e DVDs de conteúdo específico para escolas indígenas. As propostas podem ser apresentadas por organizações indígenas, universidades, instituições de pesquisa e secretarias de Educação. 

O objetivo do MEC é promover a produção, publicação e distribuição de material didático e paradidático para as escolas indígenas, além de consolidar e fortalecer as línguas maternas. Cada entidade pode enviar mais de um projeto, desde que em envelope fechado, para a Coordenação-Geral de Educação Escolar Indígena do MEC [Esplanada dos Ministérios, bloco L, Anexo I, sala 405. CEP 70047-900, Brasília, DF].

No item relativo aos critérios de seleção do material, o edital de convocação determina que têm preferência propostas de autoria indígena, relacionadas ao conhecimento da tradição oral e que sejam resultado de projetos de formação de professores.

O edital, que abre prazo para apresentação de propostas, indica que a criação dos territórios etnoeducacionais, iniciada com o Decreto nº 6.861, de 27 de maio de 2009, gerou aumento de pedidos de material específico apresentados por organizações indígenas. Hoje, conforme dados da Coordenação-Geral de Educação Escolar Indígena, o país tem 41 territórios etnoeducacionais, em diversas fases de organização e composição.

Balanço — À coordenação-geral chegaram até agora seis propostas de material:
Cartilha em língua arara, da Secretaria de Educação de Altamira (PA)
Livro de alfabetização na língua caiapó, da Associação Floresta Protegida, de Tucumã (PA)
Livro de alfabetização, produzido por professores na língua mebengocrê, do Instituto Raoni, de Mato Grosso
Livro de alfabetização na língua tapaiúna, do Instituto Raoni, de Mato Grosso
Livro de língua portuguesa (segundo volume) como segunda língua, do Instituto Raoni, de Mato Grosso
Projeto político-pedagógico, elaborado pelo conselho de professores indígenas xucuru do ororubá, da ONG Copixo, de Pernambuco

Povos — O Censo Demográfico realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010 registrou 896,9 mil indígenas. Na região Norte, são 342,8 mil; no Nordeste, 232,7 mil; no Centro-Oeste, 143,4 mil; no Sudeste, 99,1 mil e, no Sul, 78,7 mil. Segundo o censo, da totalidade dos indígenas, 517,3 mil indivíduos vivem em terras indígenas e 379,5 mil em outras áreas.

O levantamento do IBGE também constatou a existência de 274 línguas e 305 etnias. O último censo sobre diversidade linguística fora realizado em 1940, durante o governo de Getúlio Vargas.

O Edital de Convocação nº 1, da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi) foi publicado no Diário Oficial da União de 7 de junho último, seção 3, páginas 82 e 83.

Ionice Lorenzoni

2 comentários:

  1. Adoro seu blog,
    estou passando para divulgar meu novo blog sobre educação.
    http://cantinhoeducar.wordpress.com/

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Prezada Larissa,
    Olá!!
    Obrigada pela comunicação educadora!!
    Vou divulgar seu blog no meu site ecopedagogia: www.ecopedagogia.bio.br //Visite o espaço verde!!
    Visitei seu blog e também gostei!!.
    Escrever textos e publicar mensagens voltadas para a educação brasileira é um desafio educador,né??
    Abraço verde e tudo de bom pra você!
    Atenciosamente,Luciana Ribeiro

    ResponderExcluir