sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Transformar a Terra com Ana Folha e a Turma do Lixão






Desenho: Ana Folha e a Turma do Lixão

Autoria da EcoApostila:

Edson Silva e Luciana Ribeiro
Ilustração: Juliana Ribeiro



“A semente pode e deve ser regada com amor, paciência e sustentabilidade.”



A I Ecoapostila concretiza a construção de propostas pedagógicas e faz parte de uma rede de amigos (grupo Transformar a Terra e comunidade Ecopedagogia) que se prontificaram a zelar pelo planeta Terra. Ela está disponível para os educadores e cidadãos brasileiros na versão PDF/Gratuita- no Blog Transformar a Terra e no Site Ecopedagogia.



Sumário:







1- Introdução
2- Horta e Compostagem
3- Atividades educativas
4-Blogs/sites/Documentários/Livros e Cartilhas/Mapa das Feiras Orgânicas
5- Agradecimentos e contatos (e-mails e telefones)





1.                Introdução:  






Edson SilvaVisitou o Colégio Futuro localizado em Penápolis/ São Paulo - Professora responsável: Beatriz Anhesine/ ensinando os alunos do Jardim I a plantarem  hortaliças, observando  a compostagem  e a reciclagem de resíduos orgânicos que beneficiam o trabalho de preservação do meio ambiente.

Como educadores e proponentes de um novo olhar pedagógico, recomendamos a ecoapostila para a comunidade escolar (diretor, coordenador, educador, educando) com o objetivo de incentivar a socialização e comunicação com os assuntos referentes à alimentação natural, orgânica e saudável, a qual possa ser cultivada e adubada naturalmente, como forma de combater a obesidade, a hipertensão, os problemas cardíacos e tantos outros provocados por um cardápio artificial, que oferece alimentos industrializados, enlatados recheados de conservantes, salgadinhos, etc. Esses alimentos estão, portanto, desvinculados com o equilíbrio da saúde humana e do meio ambiente.

Infelizmente, o Brasil tem sido campeão no uso de agrotóxicos desde o ano 2008 (veja as informações no documentário: “O Veneno está na Mesa”: (https://www.youtube.com/watch?v=8RVAgD44AGg), fato que nos chamou a atenção para ressaltarmos a importância do plantio de frutas, verduras e legumes, e para a importância de se fazer uma compostagem natural para se evitar os malefícios comprovados pelo uso deles e pelo agravamento dos problemas, como: câncer, problemas neurológicos, alergias, desperdícios nos lares e nos locais de convivência social (restaurantes, lojas comerciais, Shopping, etc.), agricultores maltratados, escravizados e contaminados nos ambientes de trabalhos etc; ou seja, vemos que a carência do cidadão para compreender as informações ambientais no Brasil ainda é uma tarefa bastante ignorada por muitos gestores públicos que gerenciam as políticas públicas nas áreas da alimentação e meio ambiente. Enfim, como amigos e defensores do planeta Terra, desejamos colaborar com a divulgação dessa ecoapostila, e principalmente, mobilizar a discussão das pesquisas e  soluções implementadas pelos pesquisadores, pelos cidadãos comuns e pelos profissionais da área de educação ambiental.

Neste sentido pedagógico, Edson Silva recomenda o plantio e a compostagem para o cidadão vivenciá-los e, assim, compreender os valores da educação ambiental e da educação nutricional, que enobrecem o planeta Terra, contudo acreditamos que tais vivências induzem a busca do cidadão pela qualidade de vida apresentada, por meio das ações pedagógicas (brincadeiras, músicas, bate-papos) a serem discutidas e implementadas no Projeto Político Pedagógico (P.P.P.), priorizando-se o cumprimento dos direitos humanos e os direitos da Terra.

  Além de tudo, avaliamos a necessidade emergente de divulgar o poder da publicidade infantil que bombardeia as crianças e os adultos todos os dias com apelos comerciais  irresponsáveis para com a  vida humana e com o meio ambiente; sobretudo, durante esse processo de estudos acadêmicos e de reflexões pedagógicas, vimos a necessidade urgente de convocar os educadores, as vovós, os titios, os cientistas e outros para ampliarmos horizontes que valorizam a cidadania ambiental no Brasil e no mundo. (Seguem alguns links no final da ecoapostila que servem para explicar as ações do poder público sobre o assunto pouco mencionado na mídia em geral).

Convictos da importância de uma nova postura cidadã no mundo em que vivemos, recomendamos alguns materiais pedagógicos descritos abaixo da ecoapostila, que  colaboram para o reconhecimento dos problemas que atingem as cidades brasileiras; ou seja, mais do que nunca, reiteramos a necessidade debater as questões relacionadas aos resíduos sólidos no Brasil, à poluição do solo pelo uso indiscriminado dos agrotóxicos, ao consumo desenfreado dos recursos naturais (petróleo, água, árvores etc.), ao aproveitamento dos espaços socioambientais por meio do plantio de  hortas; e, dessa forma, democratizarmos as pesquisas socioambientais recomendadas pela Constituição Federal e pela Legislação Ambiental brasileiras, as quais  têm sido aplicadas por ambientalistas e amigos do planeta.
Esperamos que a leitura dessa material pedagógico seja feita de modo prazeroso, paciente, responsável e, assim, seja compartilhado com seu grupo de amigos e colegas educadores.

Você poderá discutir e compartilhar suas experiências nos grupos: “Ecopedagogia e Transforma a Terra” (mencionados logo abaixo) e nos colocamos à disposição para atendê-los quando for possível.

Reportagem com Edson Silva que foi divulgada no Instituto Menino Caranguejo:  http://www.caranguejo.org.br/author/edson-silva/




2- Horta e Compostagem





Passos para a construção inicial da horta.

Primeiro passo- A horta na escola é um processo de produção de conhecimento, portanto ela não precisa estar focada na produção de grandes quantidades e de produtos bonitos como os que vemos nas gôndolas de supermercados, mas de produtos sadios, capazes de serem consumidos durante a aula.

1- Demarcação dos canteiros. Cabe à escola decidir o que vai plantar e dentro da sua “capacidade” de manutenção da horta. Pode-se começar apenas com um canteiro, assim como também, vários outros para a diversificação da produção. Em uma área de chão, demarcamos o tamanho do canteiro. A largura pode ser de 50 a 60 cm e o comprimento de acordo com a necessidade. Crianças têm braços curtos, é sempre bom ter isso em mente.

2- Construção dos canteiros. Com uma pá ou enxadão, revolvemos o solo em uma profundidade de 20 cm. É conveniente molhá-lo bem antes de fazer o canteiro, ou iniciar a sua construção após um dia de chuvas. Depois de revolvida a terra, adicionamos o esterco ou adubo orgânico, misturamos à terra e quebramos os torrões, cobrimos com palha ou folhas e deixamos descansar por uma semana.

3-Após uma semana de descanso, descobrimos o canteiro e fazemos a planagem do canteiro. As bordas podem ser calçadas com tijolos ou tábuas, para que não exista o desmoronamento das paredes. Nosso canteiro está pronto para receber as mudas ou sementes. 

4- Caso a opção seja a utilização de sementes, os envelopes trazem, em sua parte posterior, as dicas de como efetuar o plantio. Se optarmos pelas mudas, basta pedir ao fornecedor as indicações sobre o espaçamento entre elas. As plantas necessitam de espaço para se desenvolver. Um pé de alface, por exemplo, pode chegar a ocupar um espaço de 15 cm de raio. É conveniente que exista espaço suficiente para o desenvolvimento da planta.

5- Cenoura, nabo, tomatinho cereja, pepino, maxixe e alguns outros podem ser consumidos in natura. A atividade na horta fica muito mais gostosa quando há essa possibilidade. Salsa, cebolinha e almeirão podem ser colhidos apenas através da retirada de folhas, elas tornam a brotar se mantidos o tronco e as raízes. Alface e rúcula necessitam de novos plantios após a colheita.
6- A irrigação deve acontecer, sempre, no início da manhã e no final da tarde. É preferível que se mantenha uma cobertura seca no solo, com folhas ou palhas. Essa cobertura evitará a evaporação da água e o aquecimento do solo.

7- Durante a cultura, haverá o surgimento de outras plantas no canteiro. Os pássaros e os ventos trazem sementes, que, assim como as sementes que já se encontravam no solo, também vão germinar. É bom lembrar que nem todo mato é praga e, desde que não exista risco de prejudicar a nossa horta, a presença de outras plantas é benéfica.

8- A colheita é a parte mais gostosa. Aproveite para realizar uma aula de culinária, preparação de saladas ou outra atividade. As crianças aprendem a comer legumes quando participam da preparação. Depois da atividade, é só combinar uma data para novos plantios e novas atividades.

9- A escola não tem chão de terra? Sem problemas. Podemos plantar em vasos, garrafas PET, potes de margarina, pneus e muitos outros. O importante é saber que cenoura, beterraba, nabo e outros necessitam de profundidade de solo para se desenvolver, já as folhas podem ocupar recipientes mais rasos. O que manda é a quantidade de alimento existente no solo.

Link para a montagem da horta em garrafas PET. Passo a passo:



Links para o plantio. Recomendações técnicas:



Link de um modelo de projeto para horta orgânica:

A compostagem é um processo de transformação de resíduos orgânicos em adubo que objetiva fortalecer a horta verde a ser construída com amor e sustentabilidade.

Na escola, ela ocorre de maneira igual à que ocorre nas matas. Nós apenas damos as condições necessárias para que a natureza atue e, assim, o nosso lixo se transformará em um adubo rico e que pode ser usado em uma bela horta ou jardim escolar.

Sobras da preparação de alimentos e palhas secas se transformam em adubo através da atuação de micro organismos e pequenos insetos. Água, ar, alimento e bactéria são os instrumentos para a construção de divertidos momentos de descontração e aprendizado.

O tempo de transformação é de aproximadamente 90 dias, durante os quais as reações podem ser observadas e discutidas com os alunos. O contexto disciplinar pode ficar bem mais alegre e interessante.

Links  para o acesso ao passo a passo da compostagem:

Dez passos simples para preparar a  compostagem:

1.                  O local pode ser um balde, uma caixa ou até mesmo o chão. O importante é que seja possível deixar aberturas para a troca de gases entre  compostagem e ambiente. A compostagem é um processo de digestão aeróbia, precisa de oxigênio para acontecer.

2.                  Usam-se materiais verdes e marrons. Os verdes são sobras da preparação dos alimentos, encontrados na cozinha e os marrons são folhas, gramas e capins. O verde contém água, já o marrom é seco, ressecado.

3.                  A medida para montagem é de uma parte do verde para três partes do marrom. Sobre uma camada de grama seca inicial não contada, começo a montar a compostagem.

4.                  Os verdes são picados em pedaços pequenos. Colocados sobre a palha seca inicial de forma a preencher o centro da cama. As bordas ficam livres para poderem se ligar às palhas da cobertura seca.

5.                  Depois vem a cobertura seca, em medida de três partes da quantidade de matéria verde. Ela irá proteger o material verde quanto à produção de odores indesejáveis.

6.                 Agora é só cobrir a nossa compostagem com um material capaz de permitir a troca gasosa. Essa cobertura pode ser feita com TNT, se possível, evitando o contato com o material compostado. O TNT permite a entrada de ar e evita a proliferação de moscas e outros insetos indesejáveis.

7.                  Pode-se repetir esse processo por vários dias, sempre adicionando o material verde sobre a cobertura seca do dia anterior e depois cobrindo. O tamanho da nossa compostagem irá determinar uma maior percepção do aumento da temperatura. Quanto maior o volume, maior será a percepção.

8.                  Se for feita em um recipiente, há o acúmulo de chorume no fundo. Um pequeno furo permite a retirada desse chorume, que pode ser guardado em uma garrafa para a cura ou usada na montagem de uma nova camada.

9.                  Quanto ao término da montagem da compostagem, contamos cerca de 90 dias. Nosso composto irá reduzindo de volume durante a decomposição, e, no final, restará cerca da metade do volume inicial. O produto final é uma terra escura, ainda com alguns pequenos pedaços de talos secos e algumas folhas, mas com cheiro de terra molhada.

10.              Quando pronto, peneiramos o composto para separar as partículas mais finas do material grosseiro. O material fino já serve de alimento, o grosseiro, para a cobertura de solo, ou como aditivo em uma nova compostagem, sobre a matéria verde.

3 - Atividades Educativas

Observação importante: podem ser adaptadas de acordo com a faixa etária (referente ao ensino infantil e ao ensino fundamental).

Dez passos simples para fazer a compostagem – Poema

*O poema pode ser lido, desenhado, recitado pelas crianças nas aulas de Artes, História, Geografia, Música, Português – e pode-se fazer um teatro de fantoches para representar a importância da compostagem natural para o meio ambiente.


Brincando...
Por Edson Silva

Numa caixa, balde ou chão
Já da para começar
Só precisa ter cuidado
Pois não pode faltar ar

Pegue o verde na cozinha,
De uma leva que sobrar
Essas sobras não são lixos
Servem para compostar

Os secos são marrons
Também fáceis de encontrar.
Folhas, gramas e capins.
Também pode separar.

Um verde e três marrons
Muito fácil de contar
Numa cama do marrom
Começamos a montar.

Jogo um verde sobre a cama
Picadinho pra espalhar
Um pouquinho só de água
Pro  processo começar.
As 3 partes do marrom
Cobrem o verde a isolar
Os verdes dão odores
Sem os secos vão cheirar

Assim quase todo dia
Marrom e verdes podem entrar
Os verdes sobre palha
Os marrons a isolar.

Como o monte vai crescendo
Via começando a esquentar
É a fauna pequenina
Começando a trabalhar.

O chorume que produz
Precisamos retirar
É adubo, quem diria
Deixo ele descansar

O final da compostagem
Nos três meses que contar
É uma terra bem pretinha
Pras plantinhas alimentar.

Boneco Ecológico de meia 



 



  
*O boneco ecológico serve para mencionar uma ação construtiva e coletiva entre os alunos e os professores – uma brincadeira interessante para debater a preservação do planeta Terra. Pode-se fazer um desfile de bonecos com nomes e personalidades – enfocar a questão da amizade entre os alunos, trabalhando, dessa forma, a questão do bullying, a fim de propiciar a socialização de compromissos sociais, como, por exemplo, pedir licença, dizer obrigado e pedir desculpas por uma injustiça cometida.

* Cinco passos para a construção do boneco:

1- De uma das pernas da meia, cortar um pedaço de 25 cm de comprimento, aproximadamente, abrindo a sua lateral e esticando para formar um retalho quadrado semelhante a um lenço.

2- Adicionar o alpiste em camada fina e uniforme, no centro do tecido. Sobre o alpiste, adicionar um volume de serragem, prensando-a.

3- Segure 3, das 4 pontas, em uma mãos e vá adicionando a serragem até que a quantidade seja suficiente para completar o volume desejado da cabeça. Note que o alpiste irá escorrer para a ponta que está solta, sobrando uma área, já suspensa, para se desenhar a face.

4- Juntar a quarta ponta do tecido às 3 demais. Se necessário, adicionar mais serragem para completar o volume da cabeça. Amarrar com barbante fechando o pescoço do boneco.

5- Furar a tampa de um frasco de ENO - ou à escolha- e introduzir as pontas. Encher o frasco com pedrisco e enroscar a tampa.

Pronto. Agora é só decorar. O nariz pode ser feito como uma bola, puxando o tecido com uma pequena quantidade de serragem e torcendo. Amarre com linha. EVA e cola quente desenham olhos, boca e sobrancelhas... Expressões, vestimentas e membros - o importante é brincar com a imaginação das crianças. Após a atividade, regue a cabeça em abundância e deixe em um local para receber a luz o sol. Lembre-se de irrigar duas vezes ao dia. O alpiste germinará de 3 a 5 dias, iniciando o processo de formação da cabeleira.

Caminhada Ecológica/a pé ou de bike

Convidar os alunos para fazerem uma caminhada ecológica numa área verde da cidade local (abordar a importância do bioma local, como, por exemplo, o cerrado, etc.). Mostrar a importância dos recursos naturais (água, áreas verdes, animais) que lá sobrevivem para doar vida  e outros que porventura existam para serem preservados de modo sustentável.

* Quando for possível, a escola poderá organizar um passeio de bicicleta com a família           numa área verde para conhecê-la e preservá-la com consciência ambiental. Por fim debater essa possibilidade com a família.

Piquenique da fruta

Fazer o piquenique da fruta uma vez por semana no pátio ou numa área verde da escola – momento oportuno para contar histórias voltadas para uma alimentação saudável.

Adivinhar o sabor e o nome da fruta (uma fruta natural)

Vendar os olhos das crianças e pedir que elas toquem a fruta e depois adivinhem qual é a cor e o nome dela.

As crianças podem desenhar a fruta de que mais gostaram, depois elas podem fazer um depoimento sobre a importância delas para a saúde corporal.

Observação importante: o educador poderá expor o depoimento no mural para comunicar a importância do trabalho para a família e para os funcionários da escola.

 Sopa de legumes

Fazer uma sopa com legumes e verduras para festejar a amizade entre as crianças (momento oportuno para debater a questão do bullying, fazendo questionamentos referentes às palavras ditas nos momentos de amor e de raiva dentro e fora do ambiente escolar) – utilizar as hortaliças e os legumes que foram plantados na horta da escola – explorar o tamanho, as cores e as vitaminas importantes para a saúde humana.

Sites para estudos sobre o assunto:

Carta da Terra (acesse nos documentários mencionados abaixo):

Pedir para as crianças desenharem o planeta Terra, após a leitura e a discussão dos objetivos da carta da Terra (http://pt.slideshare.net/UMALULIK/carta-da-terra-para-crianas)  escrita pelos defensores de vários lugares do mundo, dentre eles, o Brasil.

As crianças poderão fazer um depoimento sobre o que pensam da carta da Terra, discutindo ações ecológicas para suas cidades locais, como, por exemplo, abordar o consumo infantil estimulado pelas propagandas de televisões, etc.

Brincadeiras que desenvolvem o equilíbrio do corpo:

 Soltar pipa, pular corda, jogar queimada com a bola, pular elástico, jogar boliche, fazer ginástica com o corpo no colchão, fazer natação, ouvir músicas ecológicas (seguem alguns links no final da ecoapostila).

As atividades pedagógicas para exercitar o equilíbrio do copo e a socialização entre as crianças, de fato, auxiliam a criança a falar, participar, sorrir e a mexer com seu corpo e, além de tudo, propicia-se a expressão da sua identidade social que nasceu para vivenciar e construir o melhor com a natureza e para a natureza.

Leia a entrevista com Berenice Ghellen Adams no site Ecopedagogia: – A importância da alfabetização ecológica nas escolas brasileiras:




4- Blogs/sites/Desenhos/Documentários (agrotóxicos)/Mapa das Feiras Orgânicas:

Blog Transformar a Terra/Edson Silva: http://transformaaterra.blogspot.com.br/

Site Ecopedagogia:  http://www.ecopedagogia.bio.br/

Grupo no facebook/Transformar a Terra:

Comunidade/Ecopedagogia:

 Sistema Nacional de Notificações para a Vigilância Sanitária – NOTIVISA

http://www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/apresenta.htm / Fale Conosco
 
Site: Contra os Agrotóxicos

Vídeo: O Veneno Está na Mesa 1

Vídeo: O Veneno Está na Mesa 2

Mapa das Feiras Orgânicas: http://www.idec.org.br/feirasorganicas

Site:  http://www.radiopaisagem.com.br

Inseticidas e remédios naturais para combater mosquitos, moscas, formigas, pragas:

Vídeo: Faça um repelente caseiro contra pragas do jardim

Link/Inseticida natural contra a Dengue

Sites /Blogs/Documentários/Cartilhas – Educação Ambiental e Meio Ambiente

Blog : Compromisso Consciente:

Blog: Mural Virtual

Site: Ecycle – Postos de Coleta de Resíduos Sólidos

Site: Apoema (atividades educativas/livros etc)

http://www.apoema.com.br/

Site: Turminha do Tio Marcelo (Músicas/vídeos/Oficinas/novidades)

http://www.turminhadotiomarcelo.com/

Blog: Pensar Eco Lógico

Sites: Escritor Vilmar Berna – Portal Meio Ambiente

http://www.portaldomeioambiente.org.br/
http://www.escritorvilmarberna.com.br/

Carta da Terra:

http://www.cartadaterrabrasil.org/prt/index.html

Carta da Terra para crianças:

Sites/blogs/Documentários/Brincadeiras (Publicidade Infantil/Consumismo Infantil/Educação Nutricional )

Site: http://www.territoriodobrincar.com.br/

Site: http://educarparacrescer.abril.com.br/

Livro: Nascidos para Comprar - Juliet B. SCHOR

Vídeo: Muito Além do Peso:  https://www.youtube.com/watch?v=TsQDBSfgE6k

Vídeo: Experiência com lanches de fastfoods - A Dieta do Palhaço

Vídeo: Bebês Fast Food / Fast Food Baby (2011)

Vídeo: Obesidade Infantil (Campanha de prevenção em animação 2D)

Instituto ALANA - Projeto Criança e Consumo

Blog Nádia Cozzi

Site: Organicsnet  - Alimentação Saudável


 Canal de Vídeo (Instituto Caranguejo – Pratique Esportes) https://www.youtube.com/watch?v=6AM-rDYT5EU

Canal de Vídeo (Tio Marcelo) /Música Agricultura Familiar: https://www.youtube.com/watch?v=JqchbSxvwNs

Vídeo: Clone no Jardim:  https://www.youtube.com/watch?v=04NNmiwreg

Site: Ideias na Mesa/UnB: http://ideiasnamesa.unb.br/

Cartilhas/Guias - PDF (acesso gratuito)

Receituário Caseiro - Controle de Pragas e de Ambiente doméstico

Guia para o piquenique sustentável

Livro: Alimentação Saudável: Fique esperto/ANVISA - Pdf

Manual Horta Orgânica Doméstica/Pdf

Cartilha: IAPAR no Mundo Orgânico/Pdf

Livro: Legislação Ambiental para crianças/Pdf

Vídeo: Meio Ambiente por Inteiro: Produção de alimentos orgânicos

Vídeos: Curso de Horta: A Horta Orgânica - Aula 1 /e outros no canal

5- Agradecimentos e contatos:



Agradecemos a oportunidade de compartilhar conhecimentos socioambientais com os educadores e com as famílias de todo o Brasil; felizmente, o momento foi oportuno para discutir ações que de fato melhoram a qualidade do ensino brasileiro com sabedoria e cidadania ambiental, sobretudo, moralizando o debate da Legislação Ambiental no Brasil.

Esperamos que toda essa bagagem ecológica sirva de lição para prosperar o planeta Terra com vários significados relevantes para a preservação da vida em geral.



Edson Silva - é um cidadão paulista, escritor, porteiro, servidor público, Técnico em Meio Ambiente, estudante do curso de Pedagogia e apaixonado pela missão educadora e voluntária de transformar a Terra.
Luciana Ribeiro – é brasiliense, ambientalista de coração, Pedagoga, Escritora e Educadora Ambiental.
Ilustração: Juliana Ribeiro é técnica de Enfermagem, coordenadora do Projeto “Vida e Sensível”, ilustradora do Livro Ana Folha e a Turma do Lixão.
Edson Silva/Contatos:
Telefones: Celular- 18-991168574 /Residencial- 18-36531592
Luciana Ribeiro/contatos: anafolha1@gmail.com – (61)85926436


CAESB - Assessoria de Comunicação – PRC

Contatos

Assessoria de Comunicação – PRC
Responsável pelo agendamento: Juliana Péres
Telefone: 3213-7205//3213-7117
Fax: 3213-7116

Palestras- CAESB

Para o agendamento de palestras educativas mande um e-mail para:

E-mail: emr@caesb.df.gov.br



Apoio: Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal













Nenhum comentário:

Postar um comentário