quarta-feira, 9 de setembro de 2015

MMA oferece livros de educação ambiental




Data: 09/09/2015

Créditos:Ministério do Meio Ambiente

Jorge Cardoso/MMA

Bernal: agente de transformação

Ministério do Meio Ambiente lança publicações para apoiar a formação de agentes populares na agricultura familiar


Por: Alethea Muniz – Editor: Marco Moreira

A formação de educadores ambientais em todo o Brasil recebe reforço esta semana com o lançamento de duas publicações. Elas fazem parte do curso preparado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) para apoiar a prática educativa e social no campo. Os dois volumes, disponíveis em versão digital, abordam os aspectos introdutórios e o papel do agente popular na agricultura familiar.

Agente popular é aquela pessoa que estimula a reflexão da sua comunidade sobre a situação socioambiental vivida. Cabe a ele incentivar que a comunidade atue nos espaços de participação e controle social das políticas públicas de agricultura, educação e meio ambiente de sua região.

CONVITE AO DEBATE

Ao todo, a série terá sete livros, que serão oferecidos até o final do ano. “É um convite ao debate, à investigação sobre o lugar em que vive e atua o agente popular”, destaca o coordenador do Programa Educação Ambiental na Agricultura Familiar (PEAAF) do MMA, Alex Bernal. “Partimos da premissa de que transformando sua realidade, o aluno se transforma. É um processo de constante troca entre o aluno, seu meio e as pessoas do lugar”.

Além das publicações, o Departamento de Educação Ambiental do MMA prepara edital para a seleção de instituições parceiras para a segunda edição do curso semipresencial de formação de agentes populares.

O objetivo é selecionar instituições que apoiarão a realização do curso, desenvolvido por meio do Ambiente Virtual de Aprendizagem do MMA. "Sabemos que as instituições têm uma relação mais próxima com os agricultores familiares, o que é fundamental para que o curso chegue a quem se destina", destaca Bernal.

PARTICIPAÇÃO

A primeira edição do curso, realizada entre outubro de 2014 e janeiro de 2015, contou com a participação de 13 instituições de norte a sul do País. Cada uma delas poderia formar até cinco turmas, com 40 alunos. Foram formados 356 novos agentes.

"Ao mesmo tempo em que o curso apresenta inúmeros exemplos de agricultores, cooperativas e grupos que estão transformando sua forma de produzir, ele problematiza os impactos da modelo vigente de desenvolvimento rural, colaborando para que os próprios alunos possam participar da transformação desejada para a agricultura", adianta o coordenador.



Assessoria de Comuinicção Social (Ascom/MMA) - (61) 2028.1173


Links: 



Fonte: mma.gov.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário