quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Vó Zita dá dicas de boa alimentação infantil





Créditos: Turminha do MPF

DATA:03/02/2016

Vó Zita FrutasOlá, crianças! Vamos conversar sobre alimentação saudável? Então, os pais têm que se preocupar com uma boa alimentação dos filhos desde cedo, porque comer bem é um hábito que começa na infância e continua por toda a vida. 

A infância é o momento em que vocês, crianças, crescem e se desenvolvem mais rápido, e a boa alimentação é muito importante para o crescimento. Um cardápio com todos os nutrientes necessários combate a desnutrição infantil e doenças como a anemia, que atinge mais de 40% das crianças com menos de 5 anos de idade.

Outra coisa que é importante saber é que a obesidade (excesso de peso) está crescendo entre as crianças .  A pesquisa de orçamento familiar (POF), realizada pelo IBGE em 2008 e 2009, mostrou que uma em cada três crianças de 5 a 9 anos estava acima do peso recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Alimentação dos pais

Crianças, vocês sabiam que a alimentação dos pais influencia na alimentação dos filhos? Isso acontece porque, se os pais comem coisas saudáveis, geralmente, as crianças também passam a comer. Dessa forma, os pais precisam comprar e consumir sempre frutas, hortaliças, arroz, feijão, leite, etc. e evitar a compra de produtos industrializados, como papinhas prontas, sorvete, biscoitos recheados e pizza.
Nutrientes

Amigos da Turminha do MPF, é preciso conhecer os alimentos e que nutrientes eles têm para ajudar no crescimento de vocês. As substâncias mais importantes para o desenvolvimento infantil são proteínas, cálcio, ferro, zinco, vitaminas A, C e D.

- Cálcio para ossos mais fortes: o cálcio e a vitamina D servem para formar os ossos e os dentes. Para as crianças com menos de 2 anos, o melhor jeito de consumir o cálcio é o leite materno. A partir dos 2 anos, as crianças podem tomar leite de vaca e comer seus derivados. Além disso, o nutriente também está nos peixes (sardinha), vegetais verde-escuros e no gergelim.

- Ferro contra anemia: o ferro é o nutriente que faz com que o oxigênio que respiramos chegue às nossas células. Quando ele falta, ficamos com anemia, o que nos deixa fraquinhos. O alimento que mais tem ferro é a carne. Além disso, leguminosas e vegetais verdes escuros também são fontes de ferro. Outra dica importante é que,  para aumentar a absorção do ferro dos alimentos,  devemos comer também alimentos ricos em vitamina C (acerola, goiaba, caju, limão, laranja, morango).

- Vitamina A para enxergar melhor: a vitamina A faz muito bem para a visão e deixa o sistema imunológico mais forte. Para consumir essa vitamina, é importante comer alimentos alaranjados, como mamão, abóbora, cenoura e laranja. Além disso, o fígado também tem muita vitamina A.

- Zinco para crescer mais: a falta de zinco atrapalha o crescimento e diminui o apetite. Por isso, o consumo adequado desse nutriente é fundamental para o crescimento e o desenvolvimento infantil. A principal fonte desse mineral são as carnes.

Frutas e hortaliças



Amiguinhos, boa parte dos nutrientes importantes para o crescimento são encontrados nas frutas e nas hortaliças (verduras e legumes). Eles fornecem a quantidade adequada de fibras, vitaminas e minerais necessários ao funcionamento do nosso corpo. As crianças devem começar a consumi-los cedo. Já nas primeiras papas salgadas, os alimentos devem ser oferecidos separadamente no prato para que a criança aprenda o gosto de cada um. Uma maneira interessante de consumir as frutas é em forma de suco.

Se a criança começar a recusar frutas e hortaliças, é necessário oferecer esses alimentos de maneiras diferentes e atrativas, tentando sempre estimulá-las. Ela não pode ser forçada a comer nada. Vamos lembrar que o exemplo dos pais é fundamental para que a criança continue consumindo frutas e hortaliças.

O que levar na lancheira

Nas lancheiras, não pode faltar a fruta e uma porção de carboidrato (pães, biscoitos sem recheio, bolo caseiro, cuscuz). Para evitar desidratação, na lancheira deve ter também uma garrafinha com água, suco natural ou água de coco. É importante evitar doces, frituras e alimentos industrializados (até mesmo o suco de caixinha, que possui elevada concentração de açúcares), porque esses alimentos estão associados a um maior risco de sobrepeso e obesidade.

Sugestão de cardápio


1 a 2 anos – Uma fruta e uma porção de carboidrato complementar (uma bisnaguinha ou três biscoitos de maisena ou uma fatia de pão ou cuscuz). Prefira frutas no lugar de sucos ou vitaminas. Dessa forma, a mastigação da criança é estimulada e ela começa a reconhecer as comidas. Banana, pera e maçã são ótimas opções. 

2 a 6 anos – Suco de fruta natural, de preferência sem açúcar. Biscoito integral, torrada ou pão acompanhados por queijo branco e peito de peru. Também são permitidos bolos de cenoura, banana, abacaxi ou laranja.

7 a 12 anos – O que muda para as crianças dessa faixa etária é o tamanho das porções. Permanecem as fontes de carboidrato, proteína e fruta. Pães integrais, queijos, iogurtes, cereais, bolo simples e frutas são bem-vindos.



Fonte: http://www.turminha.mpf.mp.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário